COMO ESCOLHER O MELHOR REGIME TRIBUTARIO PARA MINHA FARMACIA – POST

Como escolher o melhor regime tributário para minha farmácia?

Quer garantir uma carga tributária justa para o seu empreendimento farmacêutico? A resposta para essa questão está na escolha do melhor regime tributário para a sua empresa!

Quando falamos da escolha do melhor regime tributário para farmácia é preciso ter em mente que é a partir dessa decisão que são definidos os impostos a serem pagos pelo seu negócio e a maneira como sua empresa será tributada pelo Fisco.

Portanto, para garantir que você tenha uma carga tributária realmente justa, que não seja um peso para o caixa da sua farmácia e que te mantenha em conformidade com a Receita Federal, nós, da GP Contabilidade, preparamos a postagem de hoje focando em te direcionar à escolha do melhor regime de tributação. Confira!

Conhecendo os regimes tributários para farmácias

No Brasil, possuímos 3 regimes de tributação possível para o enquadramento da sua farmácia – para falar a verdade, ainda existe a opção de outro regime de tributação chamado de Regime Arbitrado, mas ele depende de condições especiais aplicadas pela própria Receita.

Então, para que você possa conhecer os requisitos, vantagens e desvantagens de cada uma dessas opções de regime tributário para farmácias, vamos te apresentá-las, uma a uma.

Lucro Real para farmácias

O Lucro Real talvez seja o regime tributário mais distante da sua farmácia, isso porque, suas condições são bastante abrangentes, possibilitando o ingresso de praticamente qualquer negócio, contudo, ele lida majoritariamente com empresas que faturam acima de R$ 79 milhões por ano – que são obrigadas a se enquadrarem nesse regime.

Seus impostos são relativamente maiores que os impostos das demais opções de tributação, o que também é um ponto negativo para o empreendedor que acaba de abrir sua farmácia, ainda mais se for de pequeno porte.

Porém, tudo dependerá do seu faturamento e demais dados que impactam a tributação da sua empresa.

Lucro Presumido para farmácias

Já o Lucro Presumido é uma opção mais real aos farmacêuticos que buscam pelo primeiro negócio, uma vez que para ingressar nesse regime de tributação é preciso faturar até R$ 78 milhões e não atuar com empreendimento de natureza financeira, como bancos e investidoras.

Seu modelo de cálculo de impostos, que se assemelha ao do Lucro Real, é um pouco mais complicado que o Simples Nacional, – regime que o nome por si só já explica sua função, – desse modo, são calculados separadamente:

  • O IRPJ;
  • A CSLL;
  • O PIS e COFINS;
  • O ICMS;
  • O ISS; e
  • A Contribuição Patronal Previdenciária.

O que, se realizado por um contador com especialidade em farmácias, pode garantir vantagens financeiras para a sua empresa.

Simples Nacional para farmácias

Por fim, temos o Simples Nacional, que – como dito anteriormente, – o nome por si só já explica muita coisa.

Nesse regime de tributação para farmácias tanto o cálculo dos impostos quanto o seu pagamento é realizado de maneira simples, por meio de uma única guia de recolhimento que cobra todas as tributações necessárias.

Isso acaba gerando uma carga tributária relativamente menor para a sua farmácia, mas como dito depende muito de fatores como o seu faturamento e demais dados que impactam a sua tributação para a definição da sua carga tributária.

Contudo, para que você garanta a melhor opção de regime tributário para farmácia, entre em contato conosco, da GP Contabilidade, e tenha uma carga tributária justa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Recomendado só para você!
Para que os seus colaboradores se sintam valorizados e o…